Translate

domingo, 18 de setembro de 2011

E as árvores?

Um huarango ressecado próximo a Cerro Blanco é apenas um lembrete do que antes foi um bosque. Os nascas aumentaram a aridez do solo ao desmatar para plantar (foto: Robert Clark)
Os primeiros raios de sol revelam tráfego calmo na avenida dos Baobás. As árvores alcançam 25 metros de altura na ilha de Menabe (foto: Marsel Van Oosten)
Um elefante passeia solitário perto do precipício de Victória Falls no rio Zambesi (foto: Marsel Van Oosten)
Parecem cortinas fechadas os paredões do vale do rio Toad. Lá embaixo florestas intocadas e lagos de água pura na Colúmbia Britânica. Anos de dedicação e bom planejamento definiram um manejo sustentável na área. Assim os interesses de mineradores, turistas ecológicos, conservacionistas e índios co-existem em um equilíbrio delicado (foto: Michael Christopher Brown)
As florestas tropicais estão ameaçadas. Imagine não poder mais ver essas belezas naturais exuberantes???






Que o impacto do homem está destruindo a biodiversidade das florestas, todo mundo já sabe. Oh raça! Mas recentemente a revista "Nature" publicou um estudo que alerta sobre a necessidade urgente de proteção das florestas tropicais ainda praticamente intactas. Apesar da grande devastação de nossa floresta Amazônica ser divulgada mundialmente, parece que as florestas da Ásia são as que mais perdem com a exploração humana. Afinal, na Malásia e na Indonésia é produzido o famoso óleo de palma (um azeite popular na região) para o mundo inteiro. Os cientistas propõem cercar as áreas protegidas com mais áreas verdes - cinturões verdes - para segurar a degradação e impedir interesses econômicos alheios. A trasnformação rápida de florestas tropicais em áreas de agricultura e extração de madeira principalmente destrói essas belíssimas regiões e os animais que vivem ali. A população humana está só aumentando e estas florestas são muito antigas e bastante sensíveis à mudanças. As florestas nos oferecem vários serviços ambientais de graça, como sombra, água fresca e o ar que respiramos. Se pedirmos a um economista para contabilizar todos os serviços ambientais que recebemos da floresta Amazônica, por exemplo, os brasileiros não conseguiriam pagar essas contas NUNCA! Afinal, ninguém dá muita importância enquanto há abundância, não é?

6 comentários:

  1. "Oh! Raça!" Outra brilhante aula, com direito a fundo musical fantástico.

    Girassóis nos seus dias.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. o mundo parece que "cisma" com certos ícones e se esquece de olhar o resto. Pro mundo é só a Amazônia que é devastada, o resto está tudo ok... enfim, deve ser para "facilitar", o mesmo mecanismo do estereótipo, uma pena isso.

    eu passei a acreditar em fim do mundo, pq do jeito que as coisas vão indo, o homem vai é acabar com tudo mesmo

    bjs e bom dia!

    ResponderExcluir
  3. Olá Celina!
    A raça humana não aprende nunca, não é! Mas enquanto ainda houver gente da gente fazendo alguma coisa que valha a pena de verdade, ainda há chance para o planeta!
    beijos

    ResponderExcluir
  4. Essas cismas persistentes são mais para tapear o que acontece em outros lugares. A Amazônia é a queridinha do mundo (e precisamos preservá-la), mas não devemos negar o apelo de outras florestas e regiões igualmente importantes social e ecologicamente!
    Um beijo Alexandre

    ResponderExcluir
  5. Querida mineirinha!
    Que post mais lindo, estou aqui em êxtase diante de tanta beleza da natureza!
    Não, não podemos negar este apelo de outras florestas, o mundo é nosso e temos que cuidar dele com carinho igual, seja aqui ou lá.
    Olha, teu blog havia sumido de meu blog roll e acabo de recolocá-lo por lá novamente.
    um beijo grande, carioca
    ]

    ResponderExcluir
  6. Que imagens lindas, parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir