Translate

domingo, 23 de agosto de 2015

Que chuva, hein!


Se existir neste planeta um lugar muito úmido mesmo, é lá que eu gostaria de estar agora... 
Em épocas tão secas, como agora no Brasil, até parece mentira, mas tem um lugar neste mundo que chove muito, muito mesmo. Mawsynram, um vilarejo no noroeste da India, na região do Himalaya, é considerado o lugar mais úmido da Terra! Lá as pessoas compram guarda-chuva como se fossem comprar pão na padaria, é um item de 1° necessidade. A maior parte dessa chuva toda cai no período das monções na India, que vai de junho a setembro. Chega a 25 metros de chuvas acumuladas num ano (20 vezes mais que em Londres, uma cidade que chove bastante)! E nem precisa comparar com o local mais seco do mundo, o deserto do Atacama - no Chile - que não consegue ver nem meia polegada de chuva em um ano! 

As florestas tropicais úmidas ficam com uma cor inacreditável e cheias de vida. Porém, as chuvas torrenciais acabam trazendo outros problemas, como alagamentos. As comunidades locais já se acostumaram a viver assim. Questionado sobre isso, um morador respondeu: "Aqui está sempre chovendo, mas temos que trabalhar, então não dá pra ficar pensando nisso". As ruas se transformam em cachoeiras e os animais saem procurando abrigo em qualquer lugar; por isso as portas têm que estar sempre fechadas. E quem disse que as pessoas reclamam? Jamais. Dizem que têm que estar preparadas para as forças da natureza, e que isso não pode atrapalhar o andamento de suas vidas.

E quando não chove? Ah, os moradores contam que a estação seca é pior que a molhada porque eles têm que encontrar água para beber e lavar roupa! Quanto a ficar debaixo d'água, isso não é problema, já estão acostumados. A falta dela é que incomoda. Inclusive as chuvas constantes atraem cada vez mais turistas, que nunca viram tanta água cair num só lugar. Esse turismo "molhado" traz uma renda extra às pessoas dali, que vivem basicamente do cultivo.


Cientistas dizem que as nuvens de chuva que se formam no verão ficam presas ao norte do Tibet, na faixa mais montanhosa do mundo, o Himalaya. As monções chegam e carregam tudo de uma vez para os vilarejos ao redor das montanhas. A região basicamente não conhece o que é calor! Tem temperaturas médias de 10°C em janeiro e no máximo 20°C em agosto, quando fica mais quente e úmido.

Neste vilarejo das montanhas, perto da fronteira com Bangladesh, ninguém reclama de tanta chuva!


Os moradores de Mawsynram desenvolveram um método para lidar com o clima molhado - o Knup é feito com material local,  tem o formato de casco de tartaruga, o que não os impede de trabalhar na lavoura.




E eles ainda cultivam pontes! Ninguém duvida que a natureza é algo incrível, e quando o homem resolve usá-la de forma sustentável então... Os moradores da região aprenderam a enfrentar as impiedosas enchentes interagindo com a mãe natureza. Como? Cultivando pontes naturais. É uma tradição que passa de geração a geração. As raízes da figueira ficus crescem entrelaçadas  e são bem resistentes. Como suas raízes são elásticas, eles "só" têm que aprender a direcioná-las da forma certa para que virem uma ponte segura, capaz de suportar até 50 pessoas de uma vez! O processo de cultivo leva de 10 a 15 anos e pode durar até 500 anos, segundo os moradores mais antigos. 

Acho isso impressionante, como a própria natureza ensina o homem a viver, e sem precisar destruí-la! As adversidades do tempo muitas vezes fazem parte da vida das pessoas de forma natural, é só aprender a contornar as coisas mais difíceis e tentar viver com isso. Afinal a vida não é uma poção mágica e as coisas não funcionam só porque a gente quer. Este é o ponto, e um ponto é apenas o começo...

22 comentários:

  1. Cara Bia
    Sensacional, desconhecia este fato, este local, impressionante como o povo se adaptou a uma região tão inóspita.
    Apesar de saber da enorme importância da chuva, a escassez de água, principalmente no meu estado-Minas- não gostaria de ir a este lugar,
    adoro sol, dias claros e límpidos como estes do nosso país.
    É sempre muito bom ler seus textos, tomar conhecimento de fatos, conhecer regiões que nem imaginava existir.
    Beijos, Bia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maria Célia
      Certa vez vi um documentário na BBC sobre este lugar fantástico na Índia e resolvi me aprofundar um pouco mais para descobrir novas surpresas. O que mais gostei foi ver os velhinhos indianos ensinando suas netinhas a cuidarem das gigantes figueiras fazendo nelas as pontes naturais, o máximo!!!
      Beijinho

      Excluir
  2. Absolutely wonderful images! Thanks for letting us see this place.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thanks Bill
      Everywhere is wonderful somehow...
      hugs

      Excluir
  3. Uma surpresa pois desconhecia este lugar. é lindo!

    Em Portugal, onde chove mais é nas ilhas do Açores, já lá vivi uns anos e também tem paisagens lindíssimas com um verde maravilhoso. Os invernos são suaves, com pouco frio. Lá, apenas existe um problema, existe sempre muito vento e por isso, os guarda-chuvas estão sempre a estragar-se.

    Gostei muito da partilha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já ouvi muito falar dos Açores, parece mesmo um lugar incrível!
      Aqui no Brasil há muitos descendentes dos açoreanos em Santa Catarina, que também é uma ilha no sul do país, o clima parece com este que descreveu.
      Bjs e volte sempre!

      Excluir
  4. Obrigada por ter visitado meu blog. Adorei o seu e vou passear por ele. abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Te espero por aqui mais vezes então!
      Bjs e até a próxima

      Excluir
  5. Encontro-me de férias na Escócia, de momento em Thurso, a dois passos do Mar do Norte, onde o acesso à Net (e à civilização dum modo geral  ) é bastante difícil.
    Quando regressar a Bagno a Ripoli, o que deverá ser em finais de Setembro, visitarei todos os blogs amigos.
    Até lá desejo-te tudo de bom e dias muito felizes.
    Um beijo
    MIGUEL / ÉS A MINHA DEUSA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bela viagem Miguel!
      Boas viagens então e que bons ventos o levem a esses lugares todos!!!

      Excluir
  6. Amei seu cantinho já estou seguindo, estou começando agora como blogueira gostaria que visitasse minha pagina e me seguisse, obrigada bjsss
    http://josianecavalli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa sorte Josiane e bem vinda ao mundo Blog!!!
      Vou lá sim, agora mesmo!
      Bjs

      Excluir
  7. Que linda postagem, amo ler e conhecer lugares, mas nunca saí do Brasil, só fui até o Paraguai quando visitei Foz de Iguaçu.
    O Brasil já conheço quase todos os lugares turísticos, do Sul ao Norte, no Nordeste ainda falta eu conhecer Alagoas e Fortaleza!
    Manaus é o único lugar que se parece um pouco com esse lindo lugar que acaba de nos mostrar, sabe que eu também adoro chuva! Amo quando chove e como moro no centro de São Paulo, ela me atrai ainda mais por estarmos precisando!
    Linda Bia, seu blogue é encantador!
    Agradeço o carinho de sua amável visita e sempre que der virei aqui ler e aprender com você!
    Abraços e tenhas um lindo sábado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ivone, viajar é muito bom mesmo, e gostaria de conhecer estes lugares tão distantes quanto inóspitos.....tenho uma atração especial por essas culturas diferentes, mas como isso não é possível na maioria das vezes, vamos ficando por aqui mesmo... Por outro lado, você vive numa cidade cosmopolita e multicultural, que tem sempre muito a oferecer, e isso é fantástico!!! Por aqui também está faltando chuva, quase que no Brasil inteiro! Esta secura toda não faz bem e lugares úmidos são sempre uma verdadeira dádiva para a saúde. Bem que podia cair uma chuvinha de vez em quando, só para a gente não se esquecer dela, não é? Bj

      Excluir
  8. Bia, quando morei no Brasil sofri com a falta de humidade. Principalmente, porque me esqueço de beber água, quando não está muito calor, o que me provocou algumas dores de cabeça. Até que descobri o motivo e comecei a obrigar-me a beber mais.
    Não gosto particularmente de chuva, mas após uns meses de seca, acho que também poderia sonhar com ela.
    Beijinhos, uma linda semana
    Ruthia d'O Berço do Mundo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ruthia!
      Imagino como deve ter se sentido com a falta de umidade em nosso país, especialmente nesta época do ano. Engraçado, eu também simplesmente não me lembro de beber água ao longo do dia. Neste mês de agosto estou sentindo na pele as consequências tanto que minha voz foi para o espaço! Agora não saio sem uma garrafa de água na bolsa, he he. Adoro chuva, contanto que esteja com uma boa capa de chuva, é o máximo! Clamo por ela todos os dias por aqui!!!
      Beijinhos e até breve

      Excluir

  9. Obrigada pela visitinha lá no Blog e pelo carinho.
    Bjss e uma ótima semana.
    http://josianecavalli.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um lugar que certamente voltarei Josiane!
      Sinta-se em casa quando por aqui vier mais vezes, ok!
      Bj

      Excluir
  10. gosto das pontes naturais e das chuvas da monção

    aquelas massas de água que avançam como um cortinado pesado e o cheiro da terra saturada de água

    um beijinho, Bia, a viajante magnífica :)

    ResponderExcluir
  11. Também gosto de chuva, Manuela
    Mas as massas de água das monções eu nunca vi, deve ser algo espetacular !
    Bjs

    ResponderExcluir
  12. Wow ! The views of the waterfall are breathtaking !!
    Thanks for sharing your gorgeous shots !!
    Greetings

    ResponderExcluir
  13. Thanks for coming Ela!!!
    The water nowadays is a real blessing, isn't it?!
    Hugs

    ResponderExcluir