Translate

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Empoderamento de si mesma!


foto: Pascal Mannaerts




De novo o 'empoderamento' da mulher... Nunca ouvi tanto uma palavra nos últimos tempos! Concordo plenamente. Mas de nada adianta pegar os princípios de empoderamento das mulheres que a ONU lançou há alguns anos e blá, blá, blá... É preciso ter uma força interna daquelas. As mulheres sempre foram fortes, muitas lutaram contra a opressão, embora outras continuassem subjugadas.
É verdade, sempre vivemos mais, e sobrevivemos, o que já nos deixa em certa vantagem. Por isso mesmo precisamos melhorar este mundo, já que vamos ficar mais tempo nele! O mundo sempre foi machista, só os machistas não sabem disso. Os princípios da ONU para as mulheres são voltados às empresas e governos, como: "Estabelecer uma liderança corporativa de alto nível para a igualdade entre os gêneros". Isso já existe em grandes corporações pelo mundo. Mas estamos a anos luz de ter uma solução para essas questões. E não é só isso. É preciso dar passos largos nessa direção e, antes de mais nada, fazer uma revolução interna, se o objetivo é evoluir. Não adianta se apoiar em "princípios" sem uma atitude individual; sem força de vontade ninguém sai do lugar. 

Então, por que maximizar coisas sem importância, fazer fantasias da vida, ou procurar lá no passado justificativas para ser o que é hoje? Vá à luta! Aliás, é fundamental ser amiga de si mesma, sem se boicotar. E cultivar essa amizade desde sempre, desde quando já se tem uma percepção de mundo e já começa a conquistar o seu próprio. Sem se preocupar com o que os outros pensam sobre você, aquela imagem construída anos a fio com todo o cuidado, e que você morre de medo de trincar. Sem essa! As pessoas têm mais o que fazer, têm as suas próprias vidas para cuidar. Ora, fazer algo bom para si mesma não quer dizer que está sendo egoísta. É preciso tomar uma atitude em benefício próprio, ser sua melhor amiga de fato. E os outros, e o resto do mundo? Dane-se. O mundo está pouco se lixando para você. Aliás, ele nem sabe que você existe!

Nujood Ali surpreendeu o mundo em 2008 ao se divorciar com 10 anos no Iêmen, dando um grande passo contra casamentos forçados (foto: Stephanie Sinclair)


sábado, 1 de abril de 2017

As cataratas do Iguaçu!

Do lado de cá é possível ver um pedacinho dos outros dois países ligados, não pela língua (somos o único país da América Latina a falar português), mas pelos rios Paraná e Iguaçu! A "Tríplice Fronteira" tem restaurante, uma praça, loja de souveniers e uma tela gigante de cinema, onde assistimos a história do descobridor espanhol das cataratas - Álvar Núñez Cabeza de Vaca, por volta de 1540, que se estabeleceu do lado Argentino e ficou amigo dos índios da região, aos quais chamava de irmãos!


Fico imaginando qual não foi  o espanto e o encantamento deste espanhol (o 1º europeu) a descobrir tamanha força da natureza, 40 anos depois do descobrimento do Brasil. Não é só pela beleza, mas toda a vida selvagem ao redor, tipicamente tropical. Hoje em dia posso dizer que dos Parques Nacionais do país, o das Cataratas do Iguaçu é o que tem a melhor infraestrutura para receber pessoas e pesquisadores do mundo inteiro!

Em março, final do verão, ainda havia muito volume de água e a correnteza do rio estava bastante forte. No meio do ano, as águas diminuem consideravelmente, pois é uma época com pouca chuva por aqui. Inclusive, tem um passeio, o Macuco Safári (subir o rio no bote inflável  até as cataratas), que escolhi não fazer. Primeiro, porque acho que fiz muito disso antes, já passou. Por fim, chovia muito e a visibilidade para quem está dentro do bote nessa hora é ZERO!

Só pelas belezas naturais já valeria a pena a viagem, mas a grandiosidade da Usina Hidrelétrica de Itaipu me deixou orgulhosa. Apesar de sermos um país com 'mestrado e doutorado' em corrupção, conseguimos desenvolver a maior geradora de energia limpa e renovável do planeta, abastecendo o Brasil e o Paraguai! Além disso, um refúgio biológico foi feito como santuário para abrigar diversas espécies protegidas desde a formação do lago de Itaipu, na década de 80. Cerca de 1000 espécies distintas de plantas e animais, como onça pintada, jacaré, urubu-rei, quati, araras coloridas, jabutis, vários tipos de cobras e macaco-prego vivem hoje protegidas numa grande área florestal do parque.

 Este é um lugar onde todos param para foto, pois se formam arco-iris o tempo todo! As cataratas são visitadas por mais de 2 milhões de turistas por ano vindos do mundo todo, não é incrível?!

Macuco Safári, os botes infláveis indo em direção às cataratas pouco antes da chuva!

Impossível não disparar a câmera fotográfica sem parar!

Um dos mirantes em que você chega no meio das cataratas e na beira do precipício!!!

A monumental barragem de Itaipu tem cerca de 8 km de extensão e 196 metros de altura. 

O grande lago de Itaipu, formado para abastecer a usina, antes abrigava o antigo "Salto das 7 Quedas", era uma série de cataratas que se estendia ao longo do rio Paraná. Isso quando eu ainda era criança e morava lá no sul do país...

Restos de tronco das antigas árvores que ali existiam antes na inundação do lago resistem firmes até hoje!

A praça cheia de atrativos no marco da Tríplice Fronteira.

Do alto do mirante principal se vê ao longe que as cataratas seguem seu caminho felizes da vida alguns quilômetros até encontrarem o rio Paraná logo adiante


Revisitar um lugar como este foi incrível! Constatei como a natureza se regenera depois de uma grande inundação para formar o lago de Itaipu. A mata Atlântica ao redor é uma dádiva que temos que proteger com responsabilidade. Além de melhorar o clima da região, fornece diversos frutos e é rica em espécies de todos os tipos. Sair do lugar-comum e ir para uma região diferente do habitual te faz sentir ligada no 220 volts direto, carga suficiente para o resto do ano! Ah, e ainda me deixou com uma pontinha de esperança: este país tem jeito!!!


domingo, 26 de março de 2017

Este, o lado argentino

Me senti dentro do cenário do filme "A missão", de Roland Joffé, cuja história se passou exatamente ali nas cataratas do Iguaçu!

 

Fazia muito, muito tempo que eu não ia lá no sul. Uma das 7 maravilhas do mundo continua a me maravilhar de tal forma que tento me segurar para não dar um mergulho nas "Cataratas do Iguaçu", com todos aqueles arco-íris e vapor d'água te dando um banho, literalmente. Quente, úmido e molhado, tudo ao mesmo tempo em um só lugar, uma loucura! A passagem pela imigração na estrada, antes de entrar na Argentina demorou cerca de uma hora! Burocracias a parte e já estávamos lá dentro, ufa! Viajei no início deste mês, e pude provar que as famosas 'águas de março', tão esperadas no resto do país, chegam ali mostrando toda a força da natureza. Pegamos uma daquelas tempestades no meio da trilha na mata, andando por pontes suspensas ao longo rio até chegar à 'Garganta del Diablo', a parte mais selvagem das cataratas no lado argentino. O tempo virou geral, tudo nublado, e parece que chovia toda a água do planeta só naquele pedaço! Mas em questão de meia hora a chuva passou e o céu ficou completamente azul. Só lamento pelos que foram embora, achando que o tempo ia fechar o resto do dia. Quando se está em um parque no meio da floresta atlântica, com cachoeiras gigantes, quatis o tempo todo querendo roubar alguma comida da sua bolsa, aves de todas as cores e um show de arco-íris.... não se pode ter pressa.
O dia passa devagar e é assim que tem que ser. Afinal, como diz o ditado: quem tem pressa come cru. Sempre procuro ficar até o fim, quando dá. Sabe-se lá se não acontece alguma aventura de última hora, hein?!

 Entrada do parque nacional das cataratas na Argentina, fronteira com o Brasil

Para ter acesso a algumas trilhas, temos que pegar um pequeno trem que passa dentro da floresta

Esta trilha foi fechada porque uma onça parda (Puma) resolveu passear por ali um dia antes de chegarmos ao parque, o que assustou alguns andarilhos...

O caminho ao longo do rio até a Garganta do Diabo

Este lindo pássaro é comum na região e estava por todo lado, com o olho pintado de azul, só para chamar nossa atenção!

Um bote no meio do rio selvagem esperando para ser usado em uma emergência....."Just in case"!

Ah, esses quatis...

As belezas que encontrei no meio do caminho


E como chovia! A capa de chuva mal aguentou, coitadinha...


segunda-feira, 20 de março de 2017

Os arquitetos da floresta



Sei que muita gente "normal" não tem esse tipo de sonho... Quem nunca pensou um dia em ter uma casa numa árvore no meio da floresta? EU! É claro que meu sonho de criança incluía a África e todos os animais que vivem lá. Bom, nem todos eles se tornam realidade, o que por um lado é até bom. Mas quem hoje em dia constrói suas casas nas alturas? E para lá levam toda a família, amigos, cachorro e etc? A tribo Korowai, na Papua Nova Guiné, vive numa região pouco acessível. Isolados na imensidão do mundo eles vivem em cabanas que ficam até 35 metros de altura. Isso tem que ter uma explicação: nas alturas eles ficam protegidos de inundações, de exércitos de mosquitos, de vizinhos indesejáveis e, claro,  do ataque de espíritos malignos. É o instinto da sobrevivência! Os Korowai vivem basicamente da caça e do cultivo de hortaliças, e o canibalismo é praticado quando querem fazer valer a justiça para a prática de crimes na comunidade. É justo (mas, pensando bem, ainda bem que eu nunca quis morar numa árvore por aqueles lados de lá...). Este é o mundo real deles. Na verdade, vivemos todos em milhões de realidades paralelas a cada instante de nossas vidas.

Para começar eles escolhem uma árvore bem forte, depois retiram a copa toda. Os galhos formam a base do piso da cabana, que é todo coberto com folhas de palmeira, assim como as paredes e o teto. Uma casa dessas aguenta as intempéries do tempo, como as chuvas fortes das floresta sub tropicais, e tem que durar cerca de 5 anos! 
E assim esses nômades e arquitetos da natureza sem diploma vão vivendo por longos e longos anos...

sábado, 4 de março de 2017

Por aí, pelos trilhos

Paisagem da janela do trem rápido da "Renfe" de Madri à Barcelona. Muita aridez ao passar por Zaragoza, trajeto imperdível!!!


Dizem que a vida é como uma viagem de trem. Pode ser. Mas não acho que ela passa lá fora e você fica olhando da janela. É sim cheia de embarques e desembarques, de pessoas que entram e saem de sua vida, tristezas e alegrias vão e vêm ao longo do caminho. Tropeços, descarrilamentos, pedras de diversos tamanhos são comuns no percurso - mas também tem cada paisagem! Como esta aí ao lado, na Serra do Mar, de tirar o fôlego! Ah, se eu pudesse, desceria em todas as estações. Curiosidade é uma coisa que mexe com meus neurônios, e ficar só na janela não faz meu gênero. Já fiz algumas (poucas) viagens de trem, e confesso que essas são as minhas favoritas! O mais legal de tudo é não saber ao certo em qual estação vamos descer. Aquela no meio do nada? A mais bonita? A que ficou parada no tempo? Aquela cheia de vida e gente falante? Ou a solitária e bucólica nas montanhas? Qualquer lugar!!! O que importa é descer do vagão, caminhar muito, falar pouco e se divertir pra valer. Depois é só pegar o próximo trem!


Da janela do trem se vê o rio Doce, poucos meses antes do desastre da mineradora Samarco, em Mariana. Passávamos pela divisa de Minas e Espírito Santo nessa hora...


A estação de trem "Atocha" em Madri é imensa e bela!!!


Não fui eu!!!


sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Barulho? Só do vento



Para quem quer um pouco de silêncio nessa época, dançar devagar, ao som do vento, ouvindo o "barulho" das ondas, ou quem sabe alguns pássaros, se der sorte... SILÊNCIO é tudo que eu quero!




sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Ah, as pesquisas...



Você se sente assim: às vezes uma pessoa grande de coração idem, ou pequena de pensamentos tolos, gigante em certas situações, ou tão minúscula que ninguém te vê? Lidar com tanta elasticidade não é tarefa fácil! Um certo grau de malabarismo é a chave para ser feliz nesse mundo...

Faz algum tempo li sobre uma pesquisa de psicologia  (de vez em quando aparecem umas assim) que a grande maioria das pessoas só consegue ser feliz depois dos 35 anos. Por quê? Talvez porque muitos nesta idade já estejam com a vida "resolvida", tiveram alguns filhos, têm casa própria, um bom emprego, reconhecimento profissional, etc, etc. Bom, eu que já passei dos 40, não tive filhos porque não quis, não comprei nenhuma casa, não escrevi sequer um livro, nem tenho um emprego dos sonhos, snifff. Mas sempre fui uma pessoa feliz! Então isso quer dizer que sou "mal resolvida"? Se todos vivermos dentro das rígidas regras de obediência impostas pela sociedade, seremos milhares de pessoas no mundo presas a um projeto de vida 100%. Certamente de acordo com as expectativas, mas sem um mínimo de desejo transgressor em busca da real felicidade - ou algo parecido com ela. Sou a favor da "desobediência civil", mas menos radical que a de Henry Thoureau, por favor.  Um certo pintor, que costumava pintar como uma criança, já dizia: A liberdade é politicamente incorreta. Sábio Picasso!

Ser grande o suficiente e livre para sair por aí, mas sempre com os pés no chão!


segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

É preciso coragem!

Os psicanalistas defendem, e eu concordo, que deveríamos nos preocupar mais em tornar interessante nossa vida de todo dia. O que isso implica? Aventurar-se, ter mais curiosidade, arriscar mais e lamentar menos. Ter coragem é fundamental nessa vida! Aqui apenas alguns exemplos, entre tantos, de mulheres que tiveram a coragem de ousar!

Jane Goodall - Antropóloga e primatóloga britânica. Aos 82 anos é uma respeitada cientista e defensora dos direitos dos animais. Sua trajetória para alcançar essa posição é tão improvável quanto inspiradora. Aconselhada pela mãe e "nunca desistir" de seus sonhos, Jane resolveu que iria morar com os animais na África aos 20 anos de idade! Seu trabalho de uma vida resultou em profundas observações sobre nossos parentes mais próximos. 

Aung San Suu Kyi - É considerada uma heroína da paz na Birmânia. Ela passou a maior parte dos últimos 20 anos encarcerada por sua resistência pacífica contra um regime político cruel e repressivo. Não pôde receber  pessoalmente o prêmio Nobel da Paz em 1991 porque estava presa! Seu pai sempre havia lutado pela independência da Birmânia. Ela ganhou as eleições em 1990, mas foi presa em seguida, impedida de assumir o governo de seu país. Em 2016, aos 71 anos e com a saúde frágil mas já em liberdade, ela foi empossada como ministra da Relações Exteriores do 1º governo eleito democraticamente em mais de 50 anos.




Wangari Maathai - Bióloga africana, nascida no Quênia, foi estudar nos Estados Unidos e na Alemanha e voltou ao Quênia depois de concluir o mestrado. Foi a primeira africana também a concluir um doutorado. Criou a Ong "Movimento Cinturão Verde" com a intenção de promover e proteger a biodiversidade africana. Assim ela conseguiu plantar mais de 40 milhões de árvores nativas na África, gerou empregos na área rural para a população carente e promoveu o papel da mulher na sociedade. Já foi presa diversas vezes por defender o meio ambiente, as mulheres e as crianças. Ganhou o prêmio Nobel da Paz em 2004, e faleceu 7 anos depois, sendo até hoje exemplo para muitas mulheres africanas.





Malala Yousafzai - A pequena ativista paquistanesa foi a mais nova a ganhar um prêmio Nobel. Depois de levar um tiro no rosto porque queria frequentar a escola em seu país, até hoje luta pelo direito das mulheres à educação, principalmente nos países muçulmanos. Malala, que quase morreu, hoje vive em Londres, estuda e dá palestras no mundo todo.


Katherine Johnson - Uma matemática brilhante, que aos 18 anos já tinha concluído a faculdade. Começou a trabalhar na NASA nos anos 50, onde resolvia os cálculos matemáticos mais difíceis, que os computadores só conseguiriam resolver anos mais tarde. Ela foi responsável por calcular a trajetória da expedição de Alan Shepard em órbita e depois do lendário Apollo 11 no espaço. Por ser negra, mulher e cientista foi muito discriminada no início, mas sua inteligência e reputação venceram! Este ano um filme sobre ela  e suas conterrâneas da Nasa Dorothy Vaughan e Mary Jackson concorre ao Oscar - são histórias de vida realmente inspiradoras!

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Viagem é uma viagem, e pronto!


Ah, como era boa a minha preguiça no fim da tarde ao chegar à praia do Peró, com suas águas de um azul hipnotizante...

Gente, viajar é tudo de bom! Não interessa muito o lugar e nem quanto tempo vai ficar - o que importa é sair! Não sei por que, mas isso sempre acontece quando eu acabo de chegar de uma viagem, já encarando a realidade novamente, mas também com a imaginação solta já pensando quando será a próxima. Não importa quanto tempo vai demorar. Uma coisa é certa: para sair do lugar, você tem que estar disposta a se desprender de tudo e aceitar as outras culturas como elas são. Tudo muito natural. 

Sempre desconfiei de quem diz que vai fazer uma viagem para "se encontrar", ou até um ano sabático, sabe-se lá. Poxa, tem alguém aí que ainda não cresceu? Viajar é muito legal, mas não tem a obrigação de mostrar o caminho das pedras para ninguém. É sim uma oportunidade e tanto de você ver o mundo sob uma outra perspectiva. Ninguém viaja como 'lobo mau' e volta como 'príncipe', ou viaja perdido na vida e volta cheio de ideias. Simplesmente a gente vai e volta, aproveita bastante, descansa, ou se cansa, sem graves sequelas. O que eu mais gosto em uma viagem (mesmo quando a grana está curta e só dá para ir na estrada da esquina), é conhecer lugares fascinantes e as pessoas que vivem lá, além da natureza diferente daquela do seu dia a dia. Há poucas coisas mais legais do que você acordar com um nascer do sol diferente, num lugar onde as pessoas são educadas por natureza, pisar descalça na grama, correr na praia ou subir numa montanha para ver os últimos raios do sol. É como ter asas, pisar num lugar talvez nunca antes pisado. Jogar uma pedra num lago azul e vê-la dar pulinhos até afundar. Encontrar uma linda cachoeira com água potável! Isso tem um nome bem legal: Liberdade, que combina com felicidade, que combina com viagem!

Mas é claro, tem gente que precisa dar a volta ao mundo dentro de si mesmo antes de fazer as malas e sair por aí. 

Olhar os rios que cortam a floresta amazônica lá de cima me fez sentir tão insignificante e ao mesmo tempo uma privilegiada

Não se assuste Peixe Frade! Eu só queria uma foto de recordação, e parece que você me ouviu quando chamei!




domingo, 22 de janeiro de 2017

Nossa casa, nosso refúgio

Um pouco instável talvez.... e requer um certo esforço para chegar lá depois de um dia duro de trabalho. Eu achei bem simpática esta casa sobre o rio Drina, que fica no caminho para Belgrado, na Sérvia.


Outro dia li uma frase que achei ótima: 'A casa da gente é uma metáfora da nossa vida, é a representação exata e fiel do nosso mundo interior'. Acho que isso se encaixa perfeitamente no jeito de cada um morar, seja em casa ou apartamento, seja própria ou de aluguel. Afinal, depois que passamos da porta, o que menos interessa é quantos metros quadrados ela tem e sim como cada pedacinho é ocupado por nós. Viver as vezes é mesmo surreal, e ter um refúgio só seu, do seu jeito, é um alívio! 

Tem gente que gosta de tudo preto no branco, outros preferem uma casa alegre e colorida, já alguns gostam de ter vários quadros na parede, outros nenhum. Muitos espalham lembranças de vários lugares por onde andaram. Enquanto alguns são minimalistas, outros são expansionistas, e viva a diversidade!!! Confesso que tenho um pouco de tudo isso metodicamente misturado, mas nada esquizofrênico. E quando novas ideias surgem? Mudo tudo novamente num instante.
Na verdade, pouco importa a forma e o tamanho do lugar que escolhemos para ser nosso esconderijo "quase" secreto!

Esta casa de pedra em Portugal, onde foram aproveitadas duas pedras gigantes existentes na área, é de 1973. Eles construíram uma casa de pedra e concreto bem no meio. Mas devido ao grande número de curiosos no lugar, a família teve que se mudar de lá.













Uma casa-concha no México... nada mau, hein!
Ela foi construída para um jovem casal com dois filhos. Na casa não há quinas, só curvas, e tem um belo jardim interno que leva aos outros cômodos. 

                                                       






















Na Holanda uma antiga igreja foi comprada por um casal que resolveu adaptá-la para morar. O antigo altar foi transformado no escritório deles. A reforma durou cerca de um ano e ficou fantástica!















O arquiteto holandês Piet Blom soltou a imaginação ao fazer essas casas em cubo. Todas têm energia solar, e parecem captar os raios do sol de todos os lados ao mesmo tempo!


Mas eu ficaria bem feliz nesta casa de madeira e vidro nas montanhas....


sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Assim é o Sri Lanka


Como um lugar tão pequeno pode ter mais de 2000 anos de cultura? Não é demais? Se a oportunidade de conhecer este país me caísse nas mãos agora, eu iria num piscar de olhos! Me fascinam tanto lugares simples pela sua sutileza como também aqueles exóticos demais, como Sri Lanka.
Colombo, além de capital, é também a maior cidade do país que fica pertinho da Índia. Aliás, não se engane com este pequeno país-ilha asiático, pois suas estradas são extensas, porém o percurso não é tão longo assim. E o que se encontra no caminho vale qualquer sacrifício: antigos templos, milhares de elefantes, búfalos da água, leopardos, todo tipo de primatas e árvores seculares. É verdade que boa parte dos turistas que vão ao Sri Lanka são atraídos pelos sítios arqueológicos e construções religiosas, como o Buda Gigante Avukana. Há também a fantástica fortaleza Sigirya, que serviu de locação para o vídeo clipe de "Save a Prayer", de Duran Duran. Nas montanhas da ilha há inúmeras plantações de chá (minha bebida preferida!) em sítios bucólicos cheios de gente feliz. Este pequeno país, antigo Ceilão, declarou sua independência de Portugal, Reino Unido e Holanda em 1948. Talvez pelo isolamento da ilha, seu povo alegre e solícito seja essencialmente budista, o que destoa numa região da Ásia tomada pelo Induísmo e Islamismo. Está aí um lugar incrível para visitar algum dia. Distância do Brasil? Apenas 14.813 km nos separam. Tudo é uma questão de planejamento financeiro e também de alma aberta para o novo. Afinal, Richard Bach tinha razão - Longe é um lugar que não existe!

No país 84% da população é budista.

A Fortaleza Sigirya, ou a rocha do leão, é um grande rochedo natural que se ergue no meio da selva. As cavernas e cavidades desta rocha foram usadas no terceiro século como refúgio de monges budistas.

Milhares de elefantes asiáticos são encontrados pelos caminhos e estradas do Sri Lanka

Plantações de chá, especialmente o chá preto (Darjeeling), fazem parte da cultura secular do país. Seu clima único dá aos chás um sabor meloso, amadeirado e profundamente perfumado!


E aí, vamos? A vida é pequena, mas o mundo é GRANDE!!!!