Translate

domingo, 11 de junho de 2017

Felicidade vale muito!

Incrível como apesar das adversidades da vida, ainda encontramos felicidade onde nem sequer imaginamos que ela pudesse existir. Muitos países africanos sofrem com a pobreza e falta de expectativas, uns poucos sofrem com guerras, outros com terrorismo, alguns ainda sofrem as consequências dos colonizadores exploradores ou até de seus próprios ditadores.... Tudo isso a gente já sabia.


E é claro que isso está longe de ser mudado, porque as grandes potências, ou mesmo seus antigos algozes, que poderiam mudar alguma coisa, nada fazem. Mas o que mais me impressiona é que uma pesquisa feita a pouco mais de um ano, por uma instituição europeia dedicada a estudos sobre crianças e adolescentes, constatou que as crianças africanas são as mais felizes do mundo em ambientes escolares. E isso em um cenário atual. Junho é quando se comemora o dia da criança africana, por isso me lembrei. Imagine só se elas tivessem mais escolas e se todas pudessem frequentá-las por direito? 
Além de serem mais felizes, elas poderiam também sonhar com um futuro melhor! Enquanto isso não acontece, sabemos que muitas crianças são "compradas" de Burkina Faso - na Africa - para trabalharem como escravas na colheita de cacau na Costa do Marfim, maior produtor mundial, para abastecer o mercado global de chocolates na Páscoa. Outras tantas são forçadas ao casamento precoce, passando por abusos de todos os tipos desde pequenas. Isso fora a miséria e a fome que acomete muitos países africanos. Então como essas crianças ainda podem ser mais felizes???

Tem até a história de um antropólogo que estudava os hábitos de uma tribo africana e sempre tinha muitas crianças ao redor. Um dia ele propôs uma brincadeira, comprou vários doces,  encheu uma cesta toda decorada e colocou embaixo de uma árvore. Chamou todas as crianças e pediu que esperassem até ele falar "já", e quem chegasse primeiro na árvore ficaria com todos os doces. Pois quando ele disse "já", todas as crianças deram-se as mãos correndo juntas até a árvore. Lá sentaram-se na sombra felizes da vida e todas comeram os doces. Quando perguntadas por que ninguém quis ser a primeira a chegar na árvore, uma delas respondeu: Como pode qualquer um de nós ficar feliz se todos os outros ficarem tristes? Esta filosofia "Ubuntu" das tribos africanas é a mais pura dignidade humana. Eles são assim felizes porque já foram tristes, portanto sabem valorizar cada pedacinho de felicidade :-)
Quanto ainda temos que aprender!







13 comentários:

  1. Pôxa, que paulada, lição de vida, de fraternidade, solidariedade, companheirismo das crianças africanas.
    Ah, Bia, você nos brinda com textos tão interessantes, conhecimento de outras culturas e modo de viver de pessoas tão distantes de nós.
    Bacana demais.
    Um beijo, querida.
    Com relação ao meu bloguito, ando com vontade de retornar,estou pensando com carinho nesta possibilidade. Talvez recomece postando umas fotos das minhas últimas viagens. Vamos ver....
    Beijo pra você.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As crianças sempre nos dando ótimas lições!!!
      Penso que a África é um continente tão grande e ao mesmo tempo tão desigual que muitas coisas passam despercebidas pelo resto do mundo, infelizmente...
      Beijo grande Maria Célia e torço para que volte logo!

      Excluir
  2. Quando paramos para pensar nos nossos problemas e os comparamos com o que outros vivem, como diria Bogart, percebemos que as nossas aflições não vale "a bag of peanuts".
    Boa semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente Pedro, nossos problemas não valem nem um saco de pipoca eu diria, perto de tamanha adversidade que eles têm que lidar no dia a dia... Tenha uma ótima semana!

      Excluir
  3. Concordo inteiramente com o que expões neste 'post' que é estupendo e do qual gostei muito.
    Gostava que visitasses o meu do Dia da Criança...
    Também vais gostar.
    E pelo caminho espreita a ''festinha'' que fiz a Santo António...
    Um dia de namoro muito feliz.
    Abraço grande.
    ~~~~~~~~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que o resto do mundo precisa abrir mais os olhos e enxergar a África como uma grande nação formada por outras pequenas, todas cheias de vida!
      Beijinhos Majo

      Excluir
  4. Quem tem pouco com pouco se contenta e a felicidade aparece assim mais pura.

    São os mais humildes,seja em África ou noutro continente que nos mostram como esbanjamos oportunidades de felicidade.

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem razão, tudo é relativo neste mundo, não é?! E é nos pequenos momentos que a felicidade brota pura e simplesmente! Bjs

      Excluir
  5. Gostei do Blog. Vejam esse vídeo e reflita independente de sua religião, filosofia, partido político…,o que Aline fala. https://www.youtube.com/watch?v=TIz7I6ANotY

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela agradável visita.
      Vou visitar sim!
      Grande abraço

      Excluir
  6. Bia, o seu post lembrou-me de uma situação que vivi em Angola, quando prometi um pedaço de bolo-rei a um menino que disse que ia tomar conta do nosso carro (mentira, porque nos seguiu para todo o lado) e quando lhe dei a única fatia que tinha (felizmente grande), dividiu-a logo ali em três, para dar a 2 outros meninos que por ali andavam!
    Foi um momento marcante para o meu filho, que ainda hoje fala nisso. Porque os nossos filhos, graças a Deus, não sabem o que é carência e não dão valor ao que sempre tiveram como adquirido!
    Beijinho, saio daqui um pouco mais feliz graças ao seu post
    Ruthia d'O Berço do Mundo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ruthia, tenho muita vontade de conhecer Angola e tantos outros países da África... Sou apaixonada por essa miscelânea de culturas e ensinamentos africanos! Poxa, você teve uma experiência bacana, daquelas que a gente não esquece mesmo! Que bom seria se toda a humanidade dividisse ao invés de querer só para si.Não tenho filhos, mas acredito que se tivesse gostaria que ele tivesse essas vivências...
      Beijinho grande!!!

      Excluir
  7. a filosofia Ubuntu deveria ser ensinada às nossas crianças e sobretudo aos nossos políticos

    e pensar que muitos dos adolescentes ocidentais não gostam de ir à escola...

    beijinhos, Bia

    ResponderExcluir