Translate

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Elefantes, ruínas, praias, templos e chás = Sri Lanka


Como um lugar tão pequeno pode ter mais de 2000 anos de cultura? Não é demais? Se a oportunidade de conhecer este país me caísse nas mãos agora, eu iria num piscar de olhos! Me fascinam tanto lugares simples pela sua sutileza como também aqueles exóticos demais, como Sri Lanka.
Colombo, além de capital, é também a maior cidade do país que fica pertinho da Índia. Aliás, não se engane com este pequeno país-ilha asiático, pois suas estradas são extensas, porém o percurso não é tão longo assim. E o que se encontra no caminho vale qualquer sacrifício: antigos templos, milhares de elefantes, búfalos da água, leopardos, todo tipo de primatas e árvores seculares. É verdade que boa parte dos turistas que vão ao Sri Lanka são atraídos pelos sítios arqueológicos e construções religiosas, como o Buda Gigante Avukana. Há também a fantástica fortaleza Sigirya, que serviu de locação para o vídeo clipe de "Save a Prayer", de Duran Duran. Nas montanhas da ilha há inúmeras plantações de chá (minha bebida preferida!) em sítios bucólicos cheios de gente feliz. Este pequeno país, antigo Ceilão, declarou sua independência de Portugal, Reino Unido e Holanda em 1948. Talvez pelo isolamento da ilha, seu povo alegre e solícito seja essencialmente budista, o que destoa numa região da Ásia tomada pelo Induísmo e Islamismo. Está aí um lugar incrível para visitar algum dia. Distância do Brasil? Apenas 14.813 km nos separam. Tudo é uma questão de planejamento financeiro e também de alma aberta para o novo. Afinal, Richard Bach tinha razão - Longe é um lugar que não existe!

No país 84% da população é budista.

A Fortaleza Sigirya, ou a rocha do leão, é um grande rochedo natural que se ergue no meio da selva. As cavernas e cavidades desta rocha foram usadas no terceiro século como refúgio de monges budistas.

Milhares de elefantes asiáticos são encontrados pelos caminhos e estradas do Sri Lanka

Plantações de chá, especialmente o chá preto (Darjeeling), fazem parte da cultura secular do país. Seu clima único dá aos chás um sabor meloso, amadeirado e profundamente perfumado!


E aí, vamos? A vida é pequena, mas o mundo é GRANDE!!!!


sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Não, o mundo não vai acabar!


Entra ano, sai ano, é sempre a mesma história insuportável de que agora é pra valer - tudo vai pelos ares! Pois digo que não, o mundo não vai acabar, ainda bem. Tenho sido bastante cética ultimamente e confesso que duvido de muita coisa antes de acreditar. Mas sem essa de aderir ao ceticismo com o fim do mundo, definitivamente. Poxa, esse enorme planeta azul - no qual moramos de aluguel -  levou dezenas de milhares de anos para estar aqui. Não dá para sumir do mapa cósmico assim, num piscar de olhos. Por mais idiota que a humanidade seja, com seus infindáveis representantes do mal, da hipocrisia, da violência barata, da falsidade, façam questão de provar todo dia que vieram de outro planeta, não devemos nos deixar enganar. Afinal, os outros 50% da humanidade, a parte boa, ainda acredita que vale a pena viver por aqui. 

Há alguns anos li um artigo de um explorador americano que fez uma descoberta arqueológica em Xultúm, na Guatemala, sobre os antigos Maias que habitavam aquela região. E, ao contrário do que vem sendo interpretado há décadas, eles não profetizavam o fim do mundo. Por sorte, no meio da floresta coberto por terra há milênios, foi descoberto um antigo mural Maia. Além de pinturas do rei, havia toda uma parede recoberta de cálculos matemáticos baseados no calendário e na astronomia maias que avançavam 7 mil anos no futuro. Naquela época o colapso da civilização Maia já tinha começado. Eles vinculavam os eventos da vida aos grandes ciclos cósmicos e queriam provar com isso que o mundo, apesar de tudo, continuaria a existir. Para eles havia ciclos e, portanto, novos começos sempre - jamais fins absolutos.

Nós, das modernas gerações, é que nos preocupamos com o fim das coisas. Como se isso fosse resolver alguma coisa... Enquanto houver nesse mundo pessoas que acreditam que os fins justificam os meios, que bandido bom é na cadeia, e que uma vez preso o problema está resolvido e dane -se todo o resto, mesmo que a realidade prove o contrário.... para essas pessoas de pensamento equivocado pode ser que o mundo esteja mesmo chegando ao fim, infelizmente. 

Então eu proponho: vamos celebrar a continuidade da vida, passar por quantos ciclos forem preciso com alegria, leveza e sabedoria, por favor!



domingo, 25 de dezembro de 2016

Um bom ano!


As pedras que encontramos no caminho fazem parte da jornada...



Quando a alma da gente fica cansada, depois de um ano inteiro carregado de coisas pesadas que aconteceram no mundo.... parece que temos que nos esforçar para lembrar das coisas boas. É aí que sinto minha alma se elevar até as montanhas. E lá do alto consigo até visualizar as bandeirinhas coloridas dos budistas tibetanos, que reproduzem e distribuem energias positivas. FELIZ por estar neste mundo e ainda ter tantos planos pela frente. Foi um bom ano! Por isso mesmo deixo aqui minha gratidão: Obrigada!!!