Translate

segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Lugares abandonados e assustadoramente belos!

Onde alguns enxergam desolação total, outros conseguem ver a áurea de um lugar agora ocupado pelo meio ambiente ao redor. Fotógrafos experientes e suas lentes maravilhosas captam a luz perfeita no momento exato. Muitas vezes o ser humano dá vida e graça aos lugares, mas surpreendentemente alguns lugares ficam ainda mais belos sem a presença dessa espécie em particular, onde agora pulsa a natureza para resgatar todo o tempo perdido! Realmente, muitas dessas paisagens são verdadeiros cenários cinematográficos onde a natureza tomou de volta com todo o seu esplendor.... 

Pripyat, Ucrânia: Parque abandonado depois do acidente nuclear de Chernobil em 1986. Devido à radiação, está tudo intocado desde então, e o lugar agora é governado pela natureza.


Antiga aldeia de pescadores no rio Yangtze, China. Foi totalmente coberta pelo verde após seu abandono (foto: Jane Qing)


Castelo antido em Sintra - Portugal, hoje habitado por animais(foto: James Mills)


Casa invadida pela areia no deserto no sul da Namíbia, em Kolmanskop (foto: Kanuman)


Vila Epecuén - Argentina . Não parece uma cena devastadora de filme? (foto: Marsel Van Oosten)


Cidade submersa em Shicheng, China. A cidade, fundada há 1300 anos, está debaixo d'água desde 1959, quando entrou em funcionamento a hidrelétrica do rio Xin (foto: china.org.cn)


 Ilha Holanda na Baía de Chesapeake, tomada por pelicanos e outros pássaros marinhos (foto: Baldeaglebluff)



A Estação de Canfranc, Espanha, fica perto da fronteira com a França. Foi erguida em 1928 e na época era considerada um dos maiores centros ferroviários da Europa. Os nazistas usaram na II Guerra Mundial para o contrabando de ouro. Espiões também passaram por ali para se unir À Resistência Francesa (foto: KarSol)




segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Roma a pé


 
Que tal colocar aquele tênis velho e confortável, companheiro de tantas viagens, para absorver um pouco os 2.500 anos de história de Roma? Tudo bem que a cidade é bem servida de metrô e autobus elétrico para todo lado. Mas tem muito lugar interessante que dá para ir muito bem a pé, em vez da via subterrânea. E, o melhor de tudo, você não fica dependente dos pontos turísticos apenas. Conhece os percursos, os atalhos, as vias mais tortuosas e as mais longas (porém mais belas) e as boas surpresas no meio de tudo isso. Afinal, cada pedra no meio do caminho tem, no mínimo, 2000 anos! Você tropeça com a história que viu nos livros da escola, e até pede desculpas se pisou sem querer em algo ancestral....
No final do dia bate aquele cansaço, mas também uma alegria contagiante e uma vontade louca de invadir a cantina mais próxima e devorar uma pizza inteira em poucos minutos! Quer coisa melhor que descobrir a sua própria versão da cidade eterna?

Como não se encantar com o lindo parque da Villa Borguese? Se em Roma como os romanos, então vamos ao parque! Um dos passeios preferidos dos romanos é passear neste parque, que é imenso! Me perdi lá dentro, dando voltas e não sabia mais onde era a saída. Acabamos almoçando, já bem tarde, num restaurante dentro do parque (caro, mas a massa deliciosa!).


Uma parada na fonte em frente ao grandioso Panteão romano, vale até um gelato nessa hora! Construído no século I antes de Cristo, era um templo dedicado a todas as divindades. Afinal seu nome Pantheon - pan e theon - significa 'de todos os deuses'. Dali é fácil chegar até a Piazza Navona.


Que delícia passar pela praça de Santa Maria em Trastevere (bairro boêmio e mais querido de Roma) e se deparar com músicos num dia quente de primavera. O lugar é ótimo para andar, andar e andar. Depois comer, comer e comer.... Está ali a melhor pizza que comi até hoje no "Ivo a Trastevere",  de tonno - fininha e crocante!!!


Andando nas estreitas ruas do centro histórico de Roma, a caminho do Panteão, uma surpresa inusitada: um antigo 'senador romano' parou numa lojinha de alfaiate para costurar sua túnica que tinha rasgado. Depois continuou seu caminho. Será que ele se perdeu da máquina do tempo??? 


Apertado entre a estação de trem Termini e os arredores do Coliseu está o bairro escondido de Monti. Foi exatamente na rua acima - Via dei Neofiti - que Woody Allen gravou várias cenas do filme "Para Roma com Amor", onde Alec Baldwin encontra Jesse Eisemberg (um arquiteto veterano visitando Roma e um aspirante a arquiteto que mora na cidade). Gravando!!!


Ainda em Monti, descendo a pé pela Via Cavour, é só virar à direita descendo as escadas da estação de metrô Cavour. Pronto, você está dentro do 2º bairro mais queridinho dos romanos (depois de Trastevere, claro). Cheio de antiquários e lojinhas de design, além de vários Cafés e restaurantes descolados espalhados por ruas estreitas - como um quebra cabeças. Certamente um ótimo lugar para se perder em Roma!


Nada mais relaxante do que sentar na Piazza Navona, onde também fica a embaixada do Brasil. Admirar a Fontana dei Quattre Fiume, uma verdadeira obra de arte de Gian Lorenzo Bernini, a pedido do papa Inocêncio X. A fonte dos quatro rios se refere aos quatro continentes mais importantes do mundo na época e seus principais rios: Nilo (Africa), Danúbio (Europa), Ganges (Ásia) e Prata (América).



Depois de uma chuva fininha fica ainda melhor andar ao longo do rio Tevere, saindo do Vaticano, em direção ao Castelo de Sant'Angelo, passando por quiosques de sorvete e uma feirinha ao lado do rio. Ali você encontra pinturas da Roma antiga de todos os tamanhos a partir de 1 euro! Claro que eu não podia ficar sem..... 


Passando ao lado do Castel Sant'Angelo, o rio Tevere à direita, é como viver um pouco da história. Este castelo foi construído pelo imperador Adriano como o mausoléu da família. Durante a época medieval foi a mais importante das fortalezas dos papas. O castelo também foi usado por Puccini como cenário do último ato de sua ópera "Tosca". Além de ter uma vista incrível de Roma, andar por um castelo com 1.879 anos é de arrepiar!


Ir à Roma e ver o Papa no 1º dia é, digamos, uma sorte daquelas! Mesmo não sendo religiosa o bastante, rsrs, fomos visitar o Vaticano num domingo de manhã, que era para ter o resto do dia livre para andar pela cidade. Justamente quando o papa Francisco estava rezando uma missa dentro da Basílica de São Pedro (só para quem se cadastrou antes). Em seguida ele vai até aquela janelinha lá no alto, fala com todos que estão na praça durante meia hora, e ao final deseja um "Buon pranzo a tutti"!


Entrada da Basílica de São Pedro. 
Por aqui eu andei!

domingo, 26 de agosto de 2018

Nada de outro mundo!



                                    

A vida é uma caixinha de surpresas, não tenho dúvida! Mas torço o nariz quando vejo alguém que sempre vê a vida como uma empreitada para o sucesso, como um recurso a ser explorado a qualquer custo. Duvida? Dá uma olhado para o lado, sempre vai ter alguém assim. Acreditam ser espiritualizadas de alguma forma (de preferência, sobrenatural) para conseguir prosperidade. Associam facilmente o sucesso ao universo espiritual. E assim seguem em busca do tal "Karma" que nunca encontram. Um eterno conflito. Chegam a questionar a sua existência e a do próprio universo se não conseguem o que desejam. Chega de conjecturas do mundo da fantasia. Acredito mais na luta do dia a dia, nas desilusões no trabalho, nos tapas na cara que a vida nos dá, nos pequenos acertos, na alegria de um sucesso - por menor que ele seja.

O que é prosperidade afinal? Sei lá. Faltei a aula de humanas. Só sei que é substantivo feminino! Há muita coisa por aí, do tipo: "Siga aqui os 10 passos para ter prosperidade na vida", ou "atinja a prosperidade com essas dicas infalíveis...", e por aí vai. A vida é uma constante busca por algo que nos deixe mais felizes e satisfeitos. Nada que seja de outro mundo, ou da estratosfera, que mereça um esforço de super herói, com honras e troféu no final. E quem disse que o universo conspira a nosso favor era um grande mentiroso. O universo não liga a mínima para nós! E cada um que se vire do jeito que der. Mas com sabedoria, por favor. Os chineses é que estavam certos: 'Lembre-se de cavar o poço bem antes de sentir sede'. 
Na dúvida, me  mantenho sempre perto de uma fonte de água...