Translate

domingo, 11 de junho de 2017

Felicidade vale muito!

Incrível como apesar das adversidades da vida, ainda encontramos felicidade onde nem sequer imaginamos que ela pudesse existir. Muitos países africanos sofrem com a pobreza e falta de expectativas, uns poucos sofrem com guerras, outros com terrorismo, alguns ainda sofrem as consequências dos colonizadores exploradores ou até de seus próprios ditadores.... Tudo isso a gente já sabia.


E é claro que isso está longe de ser mudado, porque as grandes potências, ou mesmo seus antigos algozes, que poderiam mudar alguma coisa, nada fazem. Mas o que mais me impressiona é que uma pesquisa feita a pouco mais de um ano, por uma instituição europeia dedicada a estudos sobre crianças e adolescentes, constatou que as crianças africanas são as mais felizes do mundo em ambientes escolares. E isso em um cenário atual. Junho é quando se comemora o dia da criança africana, por isso me lembrei. Imagine só se elas tivessem mais escolas e se todas pudessem frequentá-las por direito? 
Além de serem mais felizes, elas poderiam também sonhar com um futuro melhor! Enquanto isso não acontece, sabemos que muitas crianças são "compradas" de Burkina Faso - na Africa - para trabalharem como escravas na colheita de cacau na Costa do Marfim, maior produtor mundial, para abastecer o mercado global de chocolates na Páscoa. Outras tantas são forçadas ao casamento precoce, passando por abusos de todos os tipos desde pequenas. Isso fora a miséria e a fome que acomete muitos países africanos. Então como essas crianças ainda podem ser mais felizes???

Tem até a história de um antropólogo que estudava os hábitos de uma tribo africana e sempre tinha muitas crianças ao redor. Um dia ele propôs uma brincadeira, comprou vários doces,  encheu uma cesta toda decorada e colocou embaixo de uma árvore. Chamou todas as crianças e pediu que esperassem até ele falar "já", e quem chegasse primeiro na árvore ficaria com todos os doces. Pois quando ele disse "já", todas as crianças deram-se as mãos correndo juntas até a árvore. Lá sentaram-se na sombra felizes da vida e todas comeram os doces. Quando perguntadas por que ninguém quis ser a primeira a chegar na árvore, uma delas respondeu: Como pode qualquer um de nós ficar feliz se todos os outros ficarem tristes? Esta filosofia "Ubuntu" das tribos africanas é a mais pura dignidade humana. Eles são assim felizes porque já foram tristes, portanto sabem valorizar cada pedacinho de felicidade :-)
Quanto ainda temos que aprender!







sábado, 3 de junho de 2017

Caos!

Escrevo para saber que tenho um eixo, que não sou fake, talvez um pouquinho de loucura ali outro aqui, principalmente quando palavras se rebelam em profusão e cada uma vai parar num canto qualquer do planeta. "Greve geral", elas gritam. É sempre assim, e depois elas saem me atropelando com textos sobre mudanças do clima, a vida marinha, o cotidiano chatinho, o planeta efêmero, pequenas maluquices, este mundo cão mas também maravilhoso. Hoje é dia! Deu a louca nas palavras, que estão livres e saltitantes como bolinhas de gude. Desorganizadas como tal, não acertam o alvo por nada deste mundo. Aliás, que alvo é esse que já nem sei? Ok, talvez eu sofra de ansiedade antecipada e só precise dar um tempo para que elas se reorganizem e tudo volte a ser como antes... Sim, é melhor eu tomar um xícara de chá. Jasmim! E então, quem sabe, tentar sobreviver ao caos que está minha mesa!



quinta-feira, 18 de maio de 2017

Só para relaxar...

Têm sido dias muito cheios, neurônios trabalhando a mil por hora, preparando projeto de pesquisa, muita informação em pouco tempo, prova à vista, concurso idem, e a semana que vem promete ainda mais... Conseguirei assimilar tudo? O tempo enfim vai andar mais devagar? Então é hora de aquecer os músculos para encarar os fatos. Na verdade, estou achando tudo isso ótimo! Creio que acabo de perceber que nasci para viver sob pressão... Au revoir mes amis!