Translate

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Levando na bagagem

Vale de la Luna em La Paz....parecia outro planeta!

Sabe aquela sensação que muita gente tem de que o quintal do vizinho tem a grama mais verde, a festa é mais animada, as pessoas são  mais felizes? Acho que nunca tive. Talvez porque sempre tenha sido uma criança mais quieta e pensativa, preferia desbravar o meu quintal antes de tudo. Ainda não tinha aquela ambição de olhar por cima do muro... Mas depois que você passa pelo portão e percebe que tem um mundo inteiro a sua frente, a história muda de figura. Então comecei a explorar o pequeno mundo ao redor de minha casa, da minha rua, da cidade inteira. Só fui conhecer outro país já adulta, o que me deixou em vantagem, pois levava na bagagem um certo grau de maturidade. Foi então que o mosquitinho da aventura me pegou de jeito! É viajando que acabamos descobrindo nosso atrevimento e também uma dose de coragem. Sempre achei que atravessar rios, mares e fronteiras com meus próprios pés era muito mais interessante que ver pela televisão. 


Se aventurar aprendendo outras línguas te força a conhecer outras culturas e as diversas formas de falar as coisas simples da vida. Explorar outras áreas de estudo fora da sua zona de conforto e ficar especialista nisso. Não ficar à margem, acreditar que é possível e ao menos tentar. Com um companheiro do teu lado melhor ainda. Se não, sem problemas também, há coisas que nem todos gostam igual e tudo bem. Depois de muito tempo percebi que o ato de viajar definitivamente está impresso em meu DNA. Sendo uma bióloga falando, nada mais certeiro que ter o sentido da vida ligado a você! O simples fato de decolar, pegar a estrada ou um barco faz todo o sentido para mim, além de afastar tundo aquilo que te incomoda no momento. É claro que seus problemas não vão desaparecer como mágica. Simplesmente vão parecer menores e mais fáceis de resolver depois. Este é apenas um dos benefícios. Mas tem outro ainda melhor, você se sentir 20 anos mais jovem e "totalmente" capaz de subir o Everest, se preciso for, e sem perder o fôlego só para ver aquela imensidão lá de cima. O mundo para uns é um pontinho no universo, para outros uma galáxia inteira. Sem dúvida que eu estou no segundo time!!!

A sensação de voar num balão é indescritível, só o barulho do vento e nada mais!

Pescar meu primeiro peixe, um Cascudo, no rio Araguaia e não comê-lo foi um alívio!

Alguém pintou os Andes de azul e branco!

Mesmo com sono, acordar 5:30 da manhã e observar os pescadores no sul da Bahia trazendo seus peixes do mar...e depois comprar alguns quilos bem baratinho

Atravessar a Serra do Mar de trem em meio às nuvens e a floresta Atlântica

E que tal encontrar o "Papa Francisco" em sua cidade natal?

Por aqui eu andei!


terça-feira, 15 de novembro de 2016

Enquanto isso o Ártico vai derretendo...


   

Neste cenário deslumbrante o pianista italiano Ludovico Einaudi participa da campanha mundial para salvar o Ártico do Aquecimento Global. Especialistas já dizem que 2016 será o ano mais quente da história. E ainda há certos "poderosos" recém eleitos por aí que não acreditam que o principal culpado pelo aquecimento do planeta é o homem, e que isso é pura invenção intervencionista da China contra a competitividade industrial! Oi ??????


domingo, 6 de novembro de 2016

O melhor barulho é o do mar


O melhor barulho para mim é o das ondas do mar. Mesmo nas montanhas, num silêncio profundo, com o vento soprando... ainda assim é possível ouvir o mar lá longe.... Ele abraça o planeta e nos conforta de tal forma que é praticamente impossível alguém não se acalmar diante disso tudo. Mesmo a maior tempestade de vento sul me faz despertar e ficar em alerta com tudo ao redor. A calmaria da maré cristalina me relaxa e faz refletir sobre um monte de coisas. Nascer junto ao mar é maravilhoso. Difícil é viver longe dele! Mas ele está sempre por perto, seja nas viagens, nos sonhos aquáticos, nas matérias que escrevo, no porta retrato na minha frente...

Uma coisa é fato - os oceanos, assim como a água, não são infinitos. Nunca é demais lembrar que precisamos preservá-los. Só que o atual estilo de vida da população acaba causando sérios danos para os oceanos, como a poluição e o aquecimento global, por exemplo. A boa notícia é que cada um de nós pode ajudar a melhorar esse quadro com medidas simples no dia a dia.
1- Reciclar e diminuir o uso de produtos plásticos, já que os trilhões de plásticos que flutuam no oceano matam inúmeros animais marinhos.
2- Utilizar menos o carro e economizar o uso de água e energia. Gente, isso é fácil! A queima de combustíveis fósseis acelera o aquecimento global. Se a água do oceano fica muito quente, o habitat marinho sofre. Além disso, 80% da poluição marítima vem da água contaminada despejada das cidades.
3- Escolher produtos que não exploram a vida marinha, pois além da pesca insustentável, muitos animais marinhos são mortos para fazer adornos pessoais e decoração.
4- Cuidar das praias é essencial. Quem não gosta de sol e mar? O problema é que no final ninguém lembra de carregar seu lixo embora, e ainda levam de "lembrança" pedras e corais.

Acho legal entender os mares e apoiar campanhas de proteção marinha. Isso ajuda a promover mudanças significativas ao meio ambiente e quem sabe um futuro melhor para todos nós e as gerações que ainda vão nascer. 
Qual o melhor barulho do mundo? Ainda é o das ondas do mar!!!

Um lindo coral no fundo do mar parece querer ser uma árvore, só que submersa!