Translate

quinta-feira, 12 de abril de 2018

Os Bérberes de Marrocos


Um lugar de fábulas , Ali Babas, as mil e uma noites, comidas exóticas e artesanatos  multicoloridos que moram no imaginário de muita gente até hoje... Os Bérberes, também conhecidos por Imazighen (homens livres), já habitam a região há pelo menos 4 mil anos. Como povos autóctones do norte da África, se não fosse por eles, a rota comercial entre os árabes e a África Sub Saariana talvez nunca tivesse acontecido. A África como um todo, e não me canso de dizer, é um continente imenso, multifacetado e culturalmente rico. E como tudo que é 'muito' , tem lá os seus problemas, que não não são nada fáceis. Mas o povo Bérbere, tido como um dos mais antigos de toda a África, vem resistindo ao longo dos séculos bravamente com sua cultura diversa e crenças.
Muitos vivem no Marrocos, porta de entrada do Deserto do Saara. Os Bérberes se adaptaram ao rigor climático do deserto. Usando o camelo como o melhor "meio" de transporte da região, eles se tornaram ótimos transportadores e comerciantes, seguindo em longas caravanas por toda a região do Magreb (Argélia, Mauritânia e Marrocos). Mesmo sendo originalmente nômades, muitos se adaptaram ao longo dos anos e foram se fixando em terras perto de Oásis, onde podem plantar e também tecer seus maravilhosos tapetes milenares.. Outro vi em um documentário que a língua do povo Bérbere é uma das mais difíceis de seguir - a Tamazight - que inclui também 25 diferentes línguas e mais de 300 dialetos. Uma loucura total, não!!! Eles preferem viver em paz nas montanhas, longe das grandes cidades de Marrocos. No passado tiveram que lutar contra invasores como os Romanos, os Bizantinos e os Árabes. Hoje o Islamismo é a religião predominante, num manto misterioso e mágico ao mesmo tempo que envolve este país.  Apesar de todas as dificuldades, eles conseguiram manter a tradição de tecer seus tapetes marroquinos. Com uma beleza de detalhes impressionante, certos tapetes demoram de meses a anos para finalizar, e já eram usados em palácios e túmulos sagrados. Ainda hoje são de extrema importância no enxoval de uma noiva. 
Cada tribo ou família tem seus próprios desenhos, que são como uma marca passada de geração em geração. São, segundo dizem, tapetes que duram uma vida inteira e só devem ser limpos (a seco) uma ou duas vezes ao ano para não estragar as fibras! Os desenhos de motivos geométricos são incríveis e de uma imaginação sem fim! Os mesmos padrões são vistos também em cerâmicas, tatuagens e na arquitetura bérbere. Esses povos eram basicamente a 'ponte' que ligava mercadorias produzidas pelos ashantis, bantos e bambaras a outros povos subsaarianos e da região do Sahel (que fica abaixo do Saara e antes das florestas africanas). Assim eles garantiam a circulação de produtos entre o continente africano e o Oriente Médio, abastecendo também as cidades do litoral mediterrâneo e do Atlântico. 
O rico artesanato bérbere com seus desenhos típicos e cores autênticas, muitas vezes feitas com tinta natural (foto: naoelonge)

 Ruas estreitas e perfumadas, a arquitetura marroquina tem muita influência árabe (foto: Tereza Perez)


Não há quem não enlouqueça com tanta beleza e queira levar ao menos  um desses de recordação!!!


O grandioso Saara ensinou aos povos do deserto que não é apenas uma questão de sobrevivência, mas também de respeito à cultura e às condições climáticas rígidas que ali se encontram. 

Um povo que diz "Azul" como forma de cumprimento "Olá", que significa exatamente 'vem ao meu coração', já conquistou minha simpatia antecipada!


sexta-feira, 30 de março de 2018

Tudo 'do bem'


Sim, sejamos honestos, o mundo do 'politicamente correto' em tudo anda meio chato! Tirando a honestidade, o caráter e a bondade, por motivos óbvios, não há motivo para tanta censura nos mínimos detalhes em nossas vidas. Tudo natureba ao extremo, sem açúcar, sem conservantes, direto da hortinha da fazenda do interior pra sua mesa... Seria ótimo, se vivêssemos lá, no interior, nesse lugar idílico e perfeito, e não aqui nessa selva de pedra, que também tem seu lado bom! Eu, que sou filha legítima da natureza, dou aqui minha contribuição para as cidades de concreto, com muito verde, é claro! Poxa, viver já é tão infinitamente emocionante se soubermos aproveitá-la sem neuras! Deixo aqui um trecho do artigo de Tati Bernardi, que leu meus pensamentos, e também não aguenta mais tanta novidade 'do bem':

"Minha missão é enriquecer. Para tal, já percebi que não será exatamente trabalhando que conquistarei essa façanha. Também não será de forma grotescamente ilícita, pois tenho caráter. De modo que, esperta como sou, com a leitura sempre em dia e cursos de marketing no currículo, já saquei que a modinha dos produtos (alimentícios, de higiene, de vestimenta, de papelaria, farmacêuticos, veterinários, de luxo, de lixo) "do bem" não foi passageira. Ela segue como novidade neste 2018 e tem seu lugar até no coração de gente que consegue conversar uma ou outra coisa interessante. Ela dividiu o mundo entre pessoas boas e pessoas más e isso, meu amigo, foi a coisa mais esperta que já fizeram. Não é mais uma questão de 'quem é você na fila do pão' e sim 'qual a cor da sua aura comprando pão integral na fila que você está há 45 horas porque deixa todo mundo passar na sua frente"......"

E viva o suco de Pitaya com água de coco, com açúcar sim, por que eu gosto da vida doce!



quinta-feira, 15 de março de 2018

Estamos no planeta errado? Não!


Você, certas vezes, tem a impressão que o planeta está se desintegrando, quase em estado terminal? Isso sem falar na violência gratuita que se espalha como pólvora. Parece que alguma coisa deu errado, não sei...

Por que será que todos os livros de auto ajuda (que não li) dizem que a vida é uma caixinha de surpresas e que é preciso estar preparada para elas? Por que todas as terapias (que fiz) dizem que precisamos nos libertar das amarras que emperram nossa vida e alçar voo? Por que metade da população do mundo manda você ter calma antes de agir? E a outra metade manda você deixar de ser lerda e tomar uma atitude já? Por que o mundo às vezes parece estar cheio de pessoas feitas de papel, que de tão desonestas só pensam em se dar bem? Será que estamos no planeta errado? Que nada. Reclamar não é bom e nunca foi a saída. Simplesmente é isso o que temos para o momento.

Uma coisa é certa, o universo inteiro NÃO conspira contra você, meu caro! As pessoas de verdade existem, elas estão por aí espalhadas em toda parte. Não é algo que se compra em loja, e se der sorte ainda encontram-se umas pelo caminho. Embora os descaminhos também costumem levar a algum lugar (é só ficar atento). Muitas vezes esse quebra cabeça todo parece uma bagunça sem fim, e então dá uma vontade louca de sair correndo sem olhar para trás. Só que ninguém tem que provar o tempo todo que é feliz, e é sempre bom carregar junto uma pequena sacola de tristezas e incertezas, porque a vida é assim!